Windows Live Messenger + Facebook

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

PARATY praias



Bela cidade colonial,considerada Patrimônio Histórico Nacional, preserva até hoje os seus inúmeros encantos naturais e arquitetônicos.

Passear pelo Centro Histórico de Paraty é entrar em outra época, onde o caminhar é vagaroso devido às pedras "pés-de-moleque" de suas ruas.

As construções de seus casarões e igrejas traduzem um estilo de época e os misteriosos símbolos maçônicos que enfeitam as suas paredes nos levam a imaginar como seria a vida no Brasil de antigamente. A proibição do tráfego de automóveis no Centro contribui para esta viagem pelo "Túnel do tempo".

A cidade foi fundada em 1667 em torno à Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, sua padroeira. Teve grande importância econômica devido aos engenhos de cana-de-açúcar (chegou a ter mais de 250), sendo considerada sinônimo de boa aguardente.

No século XVIII, destacou-se como importante porto por onde se escoava das Minas Gerais, o ouro e as pedras preciosas que embarcavam para Portugal. Porém, constantes investidas de piratas que se refugiavam em praias como Trindade, fizeram com que a rota do ouro fosse mudada, levando a cidade a um grande isolamento econômico.

Após a abertura da Estrada Paraty-Cunha,e principalmente, após a construção da Rodovia Rio-Santos na década de '70, Paraty torna-se pólo de turismo nacional e internacional, devido ao seu bom estado de conservação e graças às suas belezas naturais.

Em sua área encontram-se o Parque Nacional da Serra da Bocaina, a Área de Proteção Ambiental do Cairuçú, onde está a Vila da Trindade, a Reserva da Joatinga, e ainda, faz limite com o Parque Estadual da Serra do Mar. Ou seja, é Mata Atlântica por todo lado.


As Igrejas de Paraty

As Igrejas de Paraty
A história de Paraty carrega uma forte influência religiosa, especificamente católica, vinda de Portugal.
O Centro Histórico possui 4 igrejas, cada uma foi sendo destinada a uma camada da população: senhoras aristocratas, escravos,  homens pardos libertos, etc.
Esta influência se traduz não só na arquitetura, como também nas festas tradicionais que até hoje acontecem na cidade histórica de Paraty, como: Festa do Divino, Corpus Christi, Festa de Nossa Senhora dos Remédios, de Nossa Senhora do Rosário, etc.

Alambiques de Cachaça

Alambiques de Cachaça
Acredita-se que, a partir de 1600, a bebida tenha começado a ser alambicada em terras paratienses. E, mesmo sem ter sido pioneira na produção da aguardente de cana, Paraty - " quer pelas suas terras, quer pelas suas águas ou lenhas" ou ainda pelos segredos da própria alambicagem - foi a mais importante região produtora de pinga no Brasil Colônia. Não apenas na Corte como na Colônia, todos pediam uma dose de paraty quando desejavam uma simples aguardente.


A pinga produzida em Paraty fez tanta fama pela sua qualidade, segundo Monsenhor Pizarro e outros historiadores, que custava mais caro que todas as demais comercializadas no país; e sua importância sócio-econômica foi tão grande desde 1700 que acabou tendo seu próprio nome (Paraty) como sinônimo de aguardente até meados do século XX.

Dos mais de 100 alambiques de aguardente que funcionaram no município a partir de meados de 1700, a cidade conta hoje apenas com 7:

Cachaça Coqueiro
- Cachaça Corisco
- Cachaça Maria Izabel
Cachaça Paratiana e Mulatinha- Cachaça Pedra Branca
- Cachaça Maré Cheia
Cachaça Engenho D’Ouro
alambiques.pngA Indicação Geográfica - IG - constitui um instituto jurídico, previsto na nossa Lei da Propriedade Industrial, de 1996, que visa reconhecer e proteger o nome geográfico de pais, região ou localidade, que identifique algum produto ou serviço típico. Na Europa, existem mais de 3 mil produtos agropecuários com certificados de IG. No Brasil, a certificação é recente. A IG resulta na fidelização do consumidor, que saberá que, sob a etiqueta da Indicação Geográfica, vai encontrar um produto de qualidade e com características locais, peculiares a um determinado lugar. 
A IG realiza-se através de um registro junto ao INPI, que expede um Certificado específico. Entre nós, existem dois tipos de Indicação Geográfica: a Indicação de Procedência e a Denominação de Origem. São dois registros diversos, com implicações e conseqüências jurídicas e econômicas diferentes. A Indicação de Procedência traduz-se no "nome geográfico de país, cidade, região demarcada ou localidade de seu território, que se tenha tornado conhecido como centro de extração, produção ou fabricação de determinado produto ou de prestação de determinado serviço". Na embalagem do produto estará gravado "Indicação de Procedência". Já a Denominação de Origem se dá quando o nome geográfico de país, cidade, região demarcada ou localidade de seu território, designa produto ou serviço cujas qualidades ou características se devam exclusiva ou essencialmente ao meio geográfico, incluídos "fatores naturais e humanos".

O Certificado que a Cachaça de Paraty recebeu do INPI, em 2007, foi o de Indicação de Procedência, isto é, o direito exclusivo de somente as pingas fabricadas no município exibirem em seus rótulos a indicação: Cachaça de Paraty, seguida da expressão "Indicação de Procedência". Somente as cachaças fabricadas em Paraty poderão usar o nome geográfico "Paraty" em seus rótulos, quando se sabe que várias marcas de cachaça, em diversos Estados, usam o nome "paraty" para denominar cachaça .
No Brasil há apenas 6 produtos com o selo de Indicação de Procedência, sendo queParaty é a primeira cachaça brasileira a receber esta certificação




BEM-VINDO A TRINDADE - PARATY - RJ


Trindade é um dos destinos mais importantes do município de Paraty, no estado do Rio de Janeiro. 

Localizada a 30 km do trevo de Paraty, está situada dentro da Área de Proteção Ambiental do Cairuçu. 

Suas belíssimas praias, trilhas e cachoeiras recebem turistas do Brasil e do mundo.
 A vila de Trindade oferece muitas opções de hospedagem, compras e gastronomia, sempre mantendo um estilo rústico, característico do lugar. 

Cachoeiras de Paraty

Cachoeiras de Paraty
Alguns acidentes de relevo, bastante água e muita mata. Estes são os ingredientes necessários para se desenhar belas cachoeiras, como as que existem em Paraty. Algumas têm difícil acesso, mas a beleza que encontramos ao chegar, vale o esforço. Afinal de contas, não há nada melhor do que ... Lavar a alma

Praias de Paraty

Praias de Paraty
A abrigada baía Paraty possui próximo a 50 praias, sendo algumas com acesso por carro e muitas com acesso apenas por barco.
Especialmente estas últimas não só possuem uma natureza em estado quase selvagem,  mas preservam muito da ancentral cultura caiçara com seu artesanato, culinária e meios tradicionais de subsistência.
Vale a pena conhecer as belíssimas praias de Paraty!
l

Parques e Reservas

Parques e Reservas
Paraty encontra-se em um ponto geográfico privilegiado no que se refere à ecologia. Em sua área estão:
>> Parque Nacional da Serra da Bocaina (Plano de Manejo)
>> Reserva Ecológica da Joatinga
>> APA do Cairuçú
>> Área de Lazer Paraty-Mirim
>> Área de Preservação Ambiental da Baía de Paraty
Além de fazer fronteira com o Parque Estadual da Serra do Mar

Aqui a natureza parece estar sempre em festa!!! A integração da fauna, flora, rios e mares é rica, exuberante e sempre interessante. No entanto, como sabemos, estes elementos estão cada vez mais sob ameaça. Por isso...Faça de seu passeio um exercício de observação, aprendizagem e preservação: não jogue lixo, não destrua, cultive uma atitude de silêncio e respeito pela natureza.



lhas de Paraty

Ilhas de Paraty
Cerca de 65 ilhas compõem o cenário idílico da Baía de Paraty.

É uma baía abrigada, de águas límpidas, que comnvida a um passeio de barco.

Pescaria e mergulho são atividades muito  frequentes em Paraty.

ilha duas irmãs










































































































































































































































































































































































































































































































































Ilha Duas Irmãs




Entre a Ilha Rasa e a Ilha da Bexiga, a 10 minutos do cais de Paraty. São duas pequenas formações rochosas a curta distância uma da outra, cobertas por bromélias. Possui pequena praia de areias brancas e finas, coalhada de pequenas conchas, banhada por mar calmo de águas esverdeadas, desaparecendo na maré alta. Seu entorno pedregoso constitui abrigo e refúgio para peixes e crustáceos, onde podem ser encontradas várias espécies marinhas como carapaus, peixes-agulhas, caranguejos, ostras e siris. No seu pequeno pomar delícias como goiabas, abacates, limões, cajús e açaís. Além da pequena e simples residência do caseiro, o proprietário da ilha, Sr. Luiz Molero de São Paulo, construiu 3 apartamentos de aluguel, com sala e banheiro privativo. Acesso marítimo pelo cais de Paraty.
Ilha Rasa
A Ilha Rasa oferece praia de águas claras e rasas, chalés, restaurante com culinária tipicamente caiçara, piscina natural, passeios de barco em embarcação própria além da exuberante natureza que envolve a ilha. Um paraíso a apenas 3 km do Cais de Paraty com translado todos os dias.


Praia Vermelha
Entre a Ponta Grossa de Paraty e a Ilha da Pescaria, na base do Morro da Conceição, a 60 minutos de Paraty. Divide com a Praia da Lula a condição de mais concorrida pelos saveiros em passeio. Larga faixa de areia banhada por ondas suaves, excelente para banho. A praia possui bar e chuveiro de água doce, aproveitando nascente próxima. Fica dentro de uma enseada abrigada, emoldurada por farta vegetação. À frente, as ilhas dos Ganchos e da Pescaria, ótimas para mergulho e pescaria. Acesso marítimo por Paraty ou Paraty-Mirim.
 Ilha do Catimbau
Pequena formação rochosa entre a Ponta Grossa de Paraty e a Ponta do Arpoador, em frente à Ilha Comprida, a 35 minutos de Paraty. Formada por grandes blocos de pedra, situada pouco acima da linha d’água, a 7 milhas náuticas do continente. Sua importância reside em seu estratégico posicionamento na rota da maioria dos saveiros que saem de Paraty. Possui exígua presença vegetal, que se resume a algumas pequenas árvores e uns poucos coqueiros. Constitui excelente pesqueiro artesanal, dotada de pequeno pier de atracação. Ótima para mergulhos, com visibilidade de até 15m. Pertence ao Sr. Pérsio Freire.

Praia da Lula
Entre a Praia Vermelha e a Praia da Conceição, na base do Morro da Conceição, a 60 minutos de barco de Paraty. É uma das praias mais procuradas pelos turistas, ponto de parada de saveiros. Praia de areia fofa e limpa, mar calmo, bom para banho. Nascentes com bicas brotam das pedras. Dela se avista a Ilha Comprida, a Ilha da Pescaria e a Ilha do Catimbau, que integram o circuito turístico marítimo paratiense. O camping, contudo, é proibido. Acesso por barco de Paraty-Mirim ou Paraty.

Ilha Comprida
Ao norte da Ilha do Catimbau, em frente ao Morro da Conceição, a 40 minutos do cais de Paraty. A presença de blocos de granito e extensos costões rochosos, frequentados por várias espécies de peixes, a tornam recomendável para mergulhos e pescarias. Disputa com a Ilha dos Côcos a condição de melhor pesqueiro da região, devido às suas águas límpidas e transparentes e sua populosa vida subaquática, com muitos cardumes coloridos e grandes formações de corais. Possui densa mata tropical com espaço reservado para pomar de frutíferas como laranjeiras, limoeiros, abacateiros, mangueiras, bananeiras, amoreiras, pitangueiras, pés de abacaxi e de maracujá. Pertence ao comerciante e hoteleiro Eduardo Pace Junior, proprietário da Pousada Antigona e dos saveiros Antigona, Tethys e Caminante.

Ilha do Algodão
Entre a Ponta do Arpoador e a Ponta da Cajaíba, a 45 minutos do cais de Paraty. É a maior ilha da Baía de Paraty, com altitude de 230m. Domínio da Mata Atlântica, com várias espécies nativas: araribás, louros, cedros, canelas, ipês, coqueiros e palmeiras, e povoada por pequenos animais: tatus, cotias, pacas, lagartos, preguiças e porco-do-mato. Excelente ponto para mergulho e pescaria. Nela vive comunidade pesqueira com igreja e escola rural, servida por 2 piers de atracação. Uma nascente supre as necessidades da ilha e abastece as embarcações que circulam pela região. Sua maior atração é o Restaurante do Hiltinho, especializado em peixes e frutos-do-mar.

Ilha da Cotia
Entre o Saco de Santa Cruz e o Saco da Preguiça, a 120 minutos do cais de Paraty. Foi usada, no passado, para comércio ilegal de ouro e tráfico de escravos. Os escravos fujões e revoltados eram acorrentados em gruta próxima, afogando-se com a subida da maré. Na ilha existe uma fazenda marinha de mexilhões, franqueada à visitação. É coberta por espécies nobres da Mata Atlântica: jacarandá, aroeira, guapuruvu, peroba, cedro e canela e povoada por capivaras, gambás, cotias, tatus e lagartos e vários tipos de aves: sabiás, tiês, trinca-ferros, maritacas e martim-pescadores. As belas praias de Dentro e de Fora são interligadas por trilhas.
Mamanguá
O acesso é de barco, e isso proporciona um belo passeio saindo de Paraty ou Paraty-Mirim que é mais próximo, cerca de 10 minutos de lancha ou 30 minutos de baleeira. O Saco do Mamanguá tem montanhas altas de ambos os lados e um mangue, cortado por vários rios de água doce, no fundo. Um dos passeios é navegar pelos riachos, observando caranguejos coloridos e vegetação típica de mangue e ao final encontrar uma piscina natural com uma pequena queda d’água.

Ilha dos Meros
Entre a Ponta do Arpoador e a Ponta da Cajaíba, em pleno mar aberto, a 120 minutos de Paraty. Cercada por extensos costões rochosos, com muitos blocos de pedra isolados, de vários tamanhos e formatos, entre os quais se refugiam peixes de toca e de passagem. Na Enseada da Ilha dos Meros podem ser vistos cardumes coloridos de peixes pelágicos e vários tipos de bancos de coral. Por tudo isso, constitui excelente local pesqueiro e de mergulho, com profundidades variadas de 4 a 20m, que podem ser alcançados com boa visibilidade e segurança. A ilha é revestida por intensa cobertura vegetal onde vivem pequenos animais silvestres, como lagartos e saracuras. Possui vários pontos de fácil ancoragem, mas sem praias ou cais de atracação. Integra o roteiro de vários saveiros que realizam passeios pela região.

Ilha Deserta
 Em frente à Ponta da Cajaíba, no início da Enseada do Pouso, a 90 minutos do cais de Paraty. O lajeado que caracteriza o atrativo constitui habitat natural de peixes de toca e pelágicos, transformando o local em excelente pesqueiro. Sua intensa vida submarina povoada por cardumes coloridos e a boa visibilidade das águas adjacentes, limpas, transparentes e de pouca profundidade, fizeram da ilha um concorrido ponto de mergulho, considerado um dos melhores da região. Existem restos de um naufrágio, distante apenas cerca de 100m para fora da ilha, situado a 30m de profundidade, perfeitamente acessível a mergulhadores experientes. Possui intensa cobertura vegetal. Acesso marítimo pelo cais de Paraty ou por Paraty-Mirim.

Praia Grande da Cajaíba
Entre a Ponta da Espia e a Praia Deserta, no interior da Enseada do Pouso, distante 17 milhas náuticas do cais de Paraty. A orla da praia atrai cardumes pelágicos e peixes. Praia de areias claras e águas agitadas, boas para banhos. Local muito procurado como ponto de mergulho, devido às águas límpidas e profundidade adequada. A cachoeira fica cerca de 400m da praia, acessível por trilha na mata. Acesso marítimo pelo cais de Paraty ou por Paraty-Mirim.

Praia de Ipanema (ou Itanema)

Praia tranqüila e com uma pequena comunidade. há um poço de água doce, ideal para se refrescar durante a caminhada até o Pouso da Cajaíba.


Pouso da Cajaíba
Devido a sua geografia privilegiada (apresenta fácil acesso para a maioria das praias da região) e águas calmas é o principal acesso dos barcos e turistas, lá existe uma vila com aproximadamente 200 moradores, tendo telefone público, padaria, mine mercado e vários bares a beira mar.


Praia Martim de Sá
Águas frias, transparentes e verdes, pois a vegetação em torno chega bem próximo da praia. Possui areias claras e finas. O Pico Cairuçu é avistado dessa praia. Currais de pesca no local.
Extensão :450 m.

Ponta Negra
Uma das praias mais bonitas de Paraty, selvagem e primitiva, cercada por vegetação de encosta, dentro dos limites da Área de Proteção Ambiental do Cairuçu; à esquerda, grandes blocos de pedra; à direita, pequeno riacho forma uma cachoeira; acesso via marítima em dias de mar calmo ou trilha estreita.

Praia do Sono
Há duas maneiras de chegar à praia: de barco (converse com os pescadores do cais ou Paraty Mirim sobre as condições de navegação e o preço. Lembre-se que é uma viagem longa em mar agitado…) ou pela trilha na pequena vila de Laranjeiras, onde pode-se chegar, também, de ônibus.
Águas transparentes e propícias a banhos. Possui densa vegetação da Serra do Mar na encosta. Na praia deságua o Rio do Sono, o que deu o nome da praia. Há presença de Currais de Pesca na enseada. Sua extensão é de 1,3Km. A Praia do Sono fica a 35 km ao sul de Paraty.  Fonte: Turisrio.

Como Chegar a Paraty

Como Chegar a Paraty
LEGENDAS DAS ESTRADAS:
1 - Imigrantes-Anchieta
2 - Mogi-Bertioga
3 - Ayrton Senna
4 - Carvalho Pinto
5 - Dutra
6 - Tamoios
7 - Oswaldo Cruz
8 - Paraty - Cunha (INTERDITADA!!!)
9 - Barra mansa - Angra dos Reis
10 - Rio-Santos


COMO CHEGAR DE SÃO PAULO A PARATY

Imigrantes-Anchieta / Rio-Santos

Ayrton Senna / Mogi-Bertioga / Rio-Santos
Dutra / Tamoios / Rio-Santos
Dutra / Oswaldo Cruz / Rio-Santos
Ayrton Senna / Carvalho Pinto / Guaratinguetá / Paraty

Dutra / Guaratinguetá / Cunha / Paraty ( PARATY-CUNHA INTERDITADA !!!)
Ayrton Senna / Carvalho Pinto / Barra Mansa - Angra / Rio-Santos
Dutra / Barra Mansa-Angra / Rio-Santos

COMO CHEGAR DO RIO DE JANEIRO A PARATY

Rio-Santos
Dutra / barra Mansa-Angra / Rio-Santos
Dutra / Guaratinguetá / Cunha / Paraty ( PARATY-CUNHA INTERDITADA !!!)






















































Nenhum comentário:

Postar um comentário